terça-feira, 19 de janeiro de 2010

[Crónica] Novo Acordo Ortográfico - Sara


Atenção: Esta foi a primeira crónica que eu escrevi em toda a minha vida (penso eu). E está um bocado cheia de frustração. Por isso, se ofender alguém, peço imensa desculpa mas foi isto que saiu.


O Novo Acordo Ortográfico existe desde o ano de 1990 mas só em 2009 é que entrou em vigor. No entanto, se tinham intenções de mudar a Língua Portuguesa, porque é que o método de ensino continuou o mesmo? Agora, as pessoas que nasceram na mesma década que eu estão habituadas a escrever de uma maneira quando, de repente, já se escreve de outra. Como vão ser os testes e os exames? Vamos escrever as coisas como aprendemos e a nossa nota vai ser prejudicada por causa disso? Ou vamos ter que ler o Acordo todo, para além de termos de estudar para os exames? Muito conveniente.

E o abecedário? De repente, passou de vinte e três letras para vinte e seis, só por causa de algumas palavras inglesas? Para isso, acrescentem também alguns elementos do abecedário mandarim ou algo do género. Talvez assim seja mais fácil descobrir onde é que o W e o Y se enfiam.

Ah, mas eles não se ficaram pelo inglês. Decidiram também usar o brasileiro que, só por acaso, é basicamente a nódoa da Língua Portuguesa. Até consigo aceitar que baptismo fique sem p. Mas facto, acto ou Egipto? No acordo diz que as letras que não se lêem vão ser removidas. Mas, que eu saiba, eu não leio “fato”, “ato” ou “Egito”. Já consigo imaginar uma professora a dar a sua aula de Geografia:

“E aqui têm os fatos…”

Quando alguém pergunta:

“Vamos a algum casamento?”

Ensinaram-me a ler mal, foi isso? Peço imensa desculpa se eu prezo a minha Língua Portuguesa. Penso que modificá-la seria o mesmo que tirar os enchidos do nosso e tão famoso Cozido à Portuguesa.

Sara

P.S. - A fotografia foi tirada do site Olhares.

6 comentários:

t i a g o disse...

Tomo a liberdade de discordar em dois pontos, nos quais não concordo de todo:

1) Por acaso, gosto da introdução do K, W e Y no alfabeto português. A globalização, é um facto, está a invadir com muitos termos ingleses a língua dos países ocidentais, e mesmo todos os outros. Assim, e como a língua é um fenómeno constantemente em mudança, certas palavras, como Yoga, e Whisky, fazem mais do que sentido pertencerem ao nosso vocabulário, e aparecerem no dicionário. Já entraram, embora de forma discreta, na nossa língua.

2) O brasileiro não é a nódoa da Língua Portuguesa, mas sim uma evolução muito característica dos resisdentes do outro lado do oceano, antigos colonos do nosso país. Não a considero inferior, embora deva dizer que prefira duas vezes a original. «Nódoa» é, quer-me parecer, exagerado. :P

De resto, gostei da crónica. Está divertida!

Tinkerbell disse...

gostei das duas opiniões a de sara e de tiago apesar de concordar mais com o tiago respectivamente a inclusão do k w y eu sempre inclui no meu alfabeto lol

Só penso que em vez de elimarmos letras porque eles não as escrevem, porque não acrescentam eles o C em facto o P em egipto, são palavras que se lêem eu não digo fato digo facto!

bjocas*

Tinkerbell disse...

enganei-me a escrever em cima eliminarmos talvez com o novo acordo não esteja mal :P

p a t r í c i a * disse...

De facto, prefiro o bom português, português de Portugal. Afinal fomos nós que ensinámos os brasileiros o português, ou não? Eles é que nos deviam imitar, e não nós a eles.
E concordo com o facto de se introduzir o k, o w e o y no nosso abecedário. Afinal, já usamos isso.

Ana C. Nunes disse...

Eu por acaso até digo mesmo "BaPtismo", mas se calhar sou eu que levo tudo à letra.
Sinceramente, acho que nunca me vou habituar e fico muito irritada quando penso que nós, portugueses, é que temos que fazer mais alterações, enquanto que os brasileiros praticamente não mudam nada.
Eles querem unificar a língua e isso é muito bonito e tal, mas na veradde nunca vai acontecer. Os brasileiros tem termos e expressões que nem me passam pela cabeça.
Idealismos!

Anónimo disse...

Não entendo porque nós brasileiros deveriamos nos adaptar ao portuguÊs lusitano. O sotaque de vcs é feio e pouco compreensível, ao contrário do nosso, que é musical e bonito.
Ora veja-se então que "nódoa" é o que vcs falam e não que nós falamos.

Além do mais, somos 190 milhões e uma das 10 maiores economias do mundo, ao passo que Portugal é, sem querer ofender, o país mais atrasado da toda a Europa. Porque iríamos querer seguir um país assim? Vocês é que ganham ao nos seguirem, ora!

O português só é conhecido no mundo por causa da música, do cinema e dos artistas brasileiros, logo, é natural que seja este o padrão e não o de vcs! É uma questão de racionalidade.

Mas eu até compreendo , ficaria muito irritado se fosse o meu país a mudar mais. Mas o que podem fazer? Adaptem-se!

Até mais

Blog Widget by LinkWithin