terça-feira, 16 de março de 2010

Vampiros...


O que é que se me oferece dizer sobre este tema? Não tenho nada contra vampiros, mortos vivos, dragões, nem nada disso. Acontece que quando os dragões foram moda, fartei-me um bocadinho; actualmente são os vampiros, e já estou pelos cabelos com eles; e dizem que a seguir vão ser os zombies, neste ano 2010, e tenho uma sensação de que vou ter a mesma impressão.

Comprei o Crepúsculo na primavera de 2008. Tinha saído há pouco tempo, tinha uma capa apelativa, e um tema original. Na Feira do Livro de Lisboa, não me escapou. Quando já era noticiado em Outubro que o filme chegaria em Dezembro, apressei-me a ler, para escapar à moda. Recebi a sequela no Natal, e foi o primeiro livro que li em 2009: apreciei. Mas por todo o lado gente falava de vampiros, gente lia vampiros, gente via vampiros, t-shirts de vampiros, conversas de vampiros, mais livros e livros e livros de vampiros começaram a ser publicados - de estrangeiros e de portugueses - numa espiral que parecia nunca mais acabar. Parece que a tendência está a acalmar, mas ainda não completamente.

«Fevre Dream» é um título de um livro de vampiros de George R. R. Martin, publicado na América há quase trinta anos, e que, segundo li em algum lado, será publicado pela Saída de Emergência durante este ano. Não terei qualquer pudor em lê-lo, quer haja moda ou não: 1) Trata-se de um autor que adoro; 2) Foi escrito mesmo muito antes do vício que por aí anda agora...

Conclusão: eu não tenho nada contra vampiros. É verdade que também não é a coisa que mais gosto, mas... o problema aqui está na publicidade excessiva, jogadas de marketing, e saturação do mercado. E tudo o que é demais... a vossa opinião acerca disto?...

Tiago

9 comentários:

Sássára disse...

Eu concordo a 100% contigo. Fazem tanta publicidade que agora até já há duas séries portuguesas, em dois canais diferentes, sobre vampiros. Eu estou a ler o Dracula que é tipo... O original de todos eles. Pelo menos para mim. E estou a adorar! Talvez por não ser sempre a mesma coisa que nessas constantes publicidades e etc.

p a t r í c i a * disse...

Concordo contigo. Já nãos e pode andar por aí sem haver alguém a falar de vampiros, nem nada. Eu, quando li o Crepúsculo, li em cheio no meio da moda. Lia na escola, ao lado de alguém a falar do filme; enfim, na verdade até estive relutante e não queria muito ler no início. Mas lá li.
De qualquer das formas, tudo quanto é moda passa, e tudo quanto é moda e não quero participar. Com algumas excepções.

Jose disse...

Eu também comecei a ler a saga Crepúsculo muito antes dos filmes, quase um ano e meio antes, quando ainda era desconhecido pela maior parte das pessoas. Na altura gostei...

Contudo, depois virou moda, e começou a enjoar, sobretudo porque, na minha opinião, toda a publicidade virada ao público incide mais no corpo dos actores, nomeadamente do elenco masculino, do que propriamente na história. Essa é a minha opinião.

De qualquer forma, confesso que alguns dos livros que já li deveram-se ao facto de estarem na moda (como por exemplo, neste momento estou a ler, devido ao filme do Tim Burton, o "Alice no País das Maravilhas" de Lewis Carrol).

DiAleX disse...

CComo tudo, e tal como Jojo disse, "o que é em demasia faz mal".
Concordo com a tua opinião e com a dos restantes comentários. Vivemos num mundo de modas, se uma coisa tem algum sucesso é logo levada ao extremo (e fanatismo por vezes).
Não penso que tenha sido o simples facto de envolver vampiros que catapultou a Twilight Saga, mas sim um conjunto de factores muito bem escolhidos.
Continua ;)

Tatiana disse...

é verdade sim senhor... fco feliz em não ter começado a ler na altura da moda dos dragões xD adoro-os xD
mas em relação aos vampiros, bem, segui essa moda e olha que ne sou muito pessoa de modas :/ mas, como gostei do conceito vampiro, comecei a ler livros sobre vampiros, e até nem me arrependo muito pois foi com eles que descubri Anne Rice, a minha autora de estórias de vampiros favorita, e Richar Matheson... mas bem... agora, realmente enjoei.... é pena que só saibam publicar estas estórias em alturas de extase.... tornam-se muito repetitivas e muito mas muito enjoativas... mas tal como os vampiros, assim acredito que aconteça ou tenha acontecido com outros tipo de estórias... lá está.. os dragões (se tivesse começado mais cedo a ler, provavelmente ficaria extremamente enjoada com eles...).

mas pronto.... modas são modas. Os vendedores só se aproveitam delas para conseguir garantir o sustento... o problema é que abusam.... e depois deixa de haver comprador....

Leto of the Crows disse...

Concordo contigo. Vampiros vindos de um lado, vampiros vindos do outro... não que me irrite, porque sou boa a ignorar as coisas que me irritam, mas penso que é um claro exagero com destino a encher os bolsos de alguém, que não os meus (o que é uma pena).

No meu caso, li os três primeiros livros da saga, e digo que são algures interessantes, mas não me fascinaram propriamente. Não há nada como um Drácula, um livro da Anne Rice, ou até mesmo o livro que acabei de ler há umas semanas, que também foi interessante e também falava de vampiros, mas não era nada de fatela: O Historiador.

(Em todo o caso, eu comecei a ler vampiros (e dragões) antes das suas modas, ultrapasso as modas e continuo a lê-los sem me fartar... viva os elfos! *agira bandeirinha de apoio*)

Cris =) disse...

Muitos de vocês dizem "ainda bem que li antes da moda...". No meu caso, só tive conhecimento dos livros do Crepúsculo depois de ter visto o filme e não me afectou nada estar na moda ou não (à parte dos livros aumentarem de preço). Por vezes, é através dos filmes que são lançados ou vemos na televisão que nos lembramos de ir ver se existe o livro. Aconteceu-me isso quando vi "A Rainha dos Malditos" (Queen of Damned, que se não estou em erro é sequela da "Entrevista a um Vampiro" protagonizada pelo Tom Cruise). Calhou de comentar com uma colega de curso e ela disse-me que existiam os livros. Ela não tinha esse mas emprestou-me o volume anterior... Digo-vos: leiam, é muito bom! A escritora chama-se Anne Rice.

Goldalsky disse...

Eu comecei a ler a saga Luz e Escuridão quase um ano antes de sair o filme e de começar a febre dos vampiros. Acho sinceramente que as coisas devem ser tomadas com normalidade: ok os livros apelam à leitura e muita gente gostou de os ler. Mas e depois? Neste momento muita gente parece viver ao sabor desses livros. Li os livros uma vez, vi os filmes, gostei, mas e depois? Acho que não é preciso entrar em delírio por causa de uma coisa assim.
Bem, tudo isto para dizer que estás 100% certo.

Até à próxima e boas leituras =)

Isabel Maia disse...

Isso da vampiragem passa-me completamente ao lado até porque eu sou completamente imune a modas e também porque o meu bem amado desafio não me deixa ir por esses caminhos. No entanto, e entrando um bocado em contradição, vou explorar um bocadinho de vampiragem em português através dos livros do autor brasileiro André Vianco, de quem já li muito boas críticas de leitores do mesmo país.

Blog Widget by LinkWithin