sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Crítica - As Aventuras de Alice no País das Maravilhas

Título: As Aventuras de Alice no País das Maravilhas
Autor: Lewis Carroll
Tradutora: Margarida Vale de Gato
Editora: Relógio de Água
Nº de Páginas: 132
Preço Editor: 30€ (comprei por 15€)

Sinopse: As Aventuras de Alice, originalmente Alice's Adventures Underground, 1863 (As Aventuras de Alice debaixo da Terra), nasceram de uma ocasião, a 4 de Julho de 1862, em que Charles Lutwidge Dogson, matemático e cónego, também conhecido por Lewis Carroll, levou as meninas Liddell a passear de barco no Tamisa. Nessa tarde, entreteve as crianças com histórias que, a pedido de Alice (as suas irmãs eram Lorina e Edith), passou a escrito para lhe oferecer.
A presente tradução segue a versão revista por Dogson e publicada sob o título Alice's Adventures in Wonderland em 1865 (embora datada de 1866).

Ler um livro depois de se ter visto uma adaptação cinematográfica dele não é a mesma coisa do que lê-lo sem ter qualquer noção do que se irá passar. É verdade que quis ler a As Aventuras de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carrol, antes de sair a versão de Tim Burton no cinema, já no dia 4 de Março. Mas não pude evitar ter visto a primeira versão da Disney quando tinha cinco ou seis anos - e quando logo na altura se tornou dos meus filmes preferidos. talvez por isso partisse com expectativas grandes para este clássico da literatura infantil, recheado de nonsense, jogos de palavras e momentos rídiculos que eram uma homenagem ao poder da imaginação.

Jogos de Palavras... esperava ter encontrado mais, confesso. Quando aos momentos de absurdo, estão presentes por toda a parte, e são eles que dão magia à história. Ainda para mais, a Alice, como criança que é, encara esses factos estranhos com uma relativa normalidade, e isso torna a história ainda mais engraçada.

É um livro leve de se ler, a prosa constitui-se essencialmente por diálogos e narração de acontecimentos, sendo poucas as descrições. Afinal de contas, é um livro escrito particularmente para crianças, embora muitos adultos se debrucem sobre esta obra com estudos que não deixam de ser interessantes.

O País das Maravilhas é um lugar assustador, mas com o qual rapidamente criamos uma ligação afectiva, e, agora falo por mim, fiquei com vontade de o visitar por uma noite no mundo dos sonhos. Quem sabe, talvez já hoje...

Personagens Preferidas: Billy a Lagartixa, o Criado-Rã, o Chapeleiro Louco, o Rei, a Duquesa... mas acho que acima de todos a Tartaruga Fingida.

Nota (1/10): 7 - Bom

Tiago

4 comentários:

Jojo disse...

Não consegui um exemplar deste livro com muita pena minha. Até a estreia do filme vou ver se o encontro. Eu também vi o filme da Disney mas não o vi totalmente por isso, um livro será um pouco surpreendente para mim.

Bjoka*

Ana C. Nunes disse...

Se calhar sou só eu, mas sinceramente não gostei do livro. Achei-o enfadonho e demasiado rebuscado para o meu gosto. Mas compreendo o que dizes em relação à obra.

Sássára disse...

Eu vou ler, yaaay :D

Leto of the Crows disse...

Vendo isto, só por referência, a última vez que fui à Fnac do Vasco da Gama, estavam lá as obras completas do Carrol (em inglês), por 15 ou 17 euros ^^

Blog Widget by LinkWithin