domingo, 27 de junho de 2010

Acerca da minha leitura dos Miseráveis.


Acabara de ganhar um novo fôlego na leitura d'Os Miseráveis, de Victor Hugo, após ter interrompido a leitura para estudar para os exames.

Acontece-me que já quase tinha terminado de ler o primeiro volume dos três em que a minha edição se dividia, quando uma pessoa minha conhecida me chamou a atenção para o facto de o total das minhas páginas, aproximadamente 800, ficarem muito aquém das 1200 de outra edição. Fomos a comparar, apenas por curiosidade, e descobri que.... a edição que tinha..... cortava extensas partes da história. Por exemplo, as primeiras 250 páginas do livro original estavam resumidas em duas páginas do meu, e depois a história continuava normal até um dado sítios, onde voltava a haver um resumo.

Conclusão: fiquei triste. Não estava verdadeiramente a ler os Miseráveis. Depois de reflectir sobre isso ao fim de um dia, resolvi ir à FNAC comprar uma edição única (núm único volume) d' Os Miseráveis, certificando-me de que tinha tudo! Não saiu muito cara (preço bastante acessível para o livro com o volume que tem - 1100 páginas...), e vou reeiniciar a leitura. Só para saberem que, por siso, a crítica deve demorar mais uns tempinhos.

A edição que cortava partes, já antiguinha, era da autoria de um grupo editorial chamado Amigos do Livro. Pois eu acho que essa decisão de cortarem partes foi tudo menos serem amigos do livro!!

Tiago

7 comentários:

Jojo disse...

Cortaram partes do livro?! Que coisa mais estapafúrdia!
Eu por acaso aguardava ansiosamente pela tua opinião sobre este grande clássico mas, se vamos ler um clássico ( ou um outro livro...) que seja como dve de ser!!!

Anónimo disse...

Com "Os Miseráveis" fazem isso com alguma frequencia: em inglês e francês há edições onde isso também acontece, o que, de facto, não faz qualquer sentido. É por isso que, quando compramos um livro devemos prestar atenção ao que estamos a comprar. De qualquer forma ainda bem que te apercebeste agora, era pior se só soubesses depois de teres lido o livro todo...

Sássára disse...

Okay, que coisa mais estranha.. Nunca pensei que pudessem fazer tal coisa. Por momentos pensei que a edição que me tinhas dado é que estava errada. Mas, felizmente, não está. E agora ainda fiquei com mais curiosidade para ler!

Anónimo disse...

Também tenho um blog. E também estou lendo Os Miseráveis. Se tiver condições dá uma passadinha lá: http://catalisecritica.wordpress.com

Aproveita e lê um conto que eu fiz, "O Pai dos Pobres", baseado na carta testamento do Getúlio Vargas. Meus comentários sobre os livros que leio não se resumem à resumos, mas a comentários "pessoais": as primeiras impressões.

Valeu, e parabéns pelo blog!!!

ACGV disse...

Fico contente que já tenhas arranjado uma solução dado que digamos que ficaste mesmo zangado quando chegámos à conclusão de que havia uma grande discrepância entre os nossos livros...

tonsdeazul disse...

Sem dúvida que essa editora deve ser tudo menos amiga dos livros! O livro se não tem a história na íntegra no mínimo essa informação devia estar mencionada no livro, para que o leitor não se sinta lesado!
Ainda bem que conseguiste encontrar outra edição. :) Continuo a aguardar a tua opinião. ;)

LisAnaHD disse...

Para obras literárias de tamanho porte (no número de páginas), é comum a prática de publicações resumidas (abridged, em inglês) e isso deve estar destacado na capa do livro.

Blog Widget by LinkWithin