quarta-feira, 5 de agosto de 2009

A Glória dos Traidores - Crítica



Todos os spoilers que a crítica contém estão a meio da crítica, pintados de branco, e é necessário seleccionar com o rato os mesmos. Podem ler à vontade os primeiros dois parágrafos, e o último, que só têm assim uns spoilers muito ligeiros, que não fazem mal a ninguém.

«Todos têm de morrer», é o que diz um provérbio de Westeros, adoptado de terras mais distantes. E, de facto, não foram poucas as personagens que nos deixaram ao longo deste livro. Foram demasiadas, até. E nas circunstâncias menos esperadas, imagine-se! Já me tinham dito que Martin era assim, "cruel", matava as personagens principais com a mesma facilidade com que matava as outras. E eu aceitava, porque era o que via nos livros anteriores. Mas neste... neste, as coisas passaram-se de forma diferente. Neste, passou a ser duplamente verdade.

Esta Glória dos Traidores tem de tudo: momentos para chorar, momentos para rir, momentos para ficar de boca aberta, momentos em que não se consegue deixar de ler até terminar o capítulo, e momentos em que achamos que Martin é definitivamente uma mente brilhante. O encadeamento dos acontecimentos é impressionantemente lógico, ao ponto de um capítulo que aparentemente me pareceu normal no começo do 5º livro (da Sansa, em que conhecemos a Rainha dos Espinhos), vem justificar o facto do Mindinho dizer que foi a própria Rainha dos Espinhos que... quem leu sabe. Uau, foi o que eu pensei. Isto está tudo pensado até ao mínimo pormenor.

Spoilers (quem não leu o livro, NÃO seleccione com o rato os próximos parágrafos! Quem ler, estraga completamente a surpresa ao ler o livro - deixa MESMO de ter piada): Quanto às mortes que se deram, a mais penosa para mim foi a de Catelyn, como, aliás, penso que foi para todos. Em primeiro lugar, ela era uma personagem que acompanhávamos com capítulos a si dedicados desde o primeiro livro. No entanto, ficamos com aquele gostinho de no final ela ter voltado a aparecer... ressuscitada? Foi a grande revelação do fim do livro.

Sansa surpreendeu-me neste livro, depois de nos últimos ter tido capítulos mais fraquinhos. Voltou a mostrar que é uma personagem muito particular, nomeadamente no seu último capítulo do livro, em que constrói Winterfell na neve, e quase é atirada da Porta da Lua pela própria tia (que fiquei contente que morresse! a mulher irritava-me tanto...).

Jon tem os melhores capítulos do livro, e para mim isso não admite discussão (embora os de Tyrion também tenham sido bastante bons). A batalha travada na Muralha é de longe a cena que mais fica marcada na cabeça, seguida pelos sangrentos casamentos que ocorreram! A própria personagem do Jon também subiu um pouco na minha consideração ao longo do volume, pelas dúvidas que teve de enfrentar.

E fiquei contente que o Tyrion tivesse escapado! Eu já estava com medo que ele fosse condenado, ou assim... mas não gostei que tivesse morto nem a Shae, nem o pai. Não me pareceu o tipo de pessoa que fizesse isso. Penso que ele estava um pouco alterado, mas mesmo assim, foi demasiado.

E admito que estava à espera de mais capítulos do Bran... e pelo menos um do Theon Greyjoy, se é que ainda está vivo! E, se não fosse pedir muito, mas um ou outro da Daenerys, que três foram muito pouco!

A Glória dos Traidores é um livro glorioso, talvez nem tanto para os traidores como o foi para os leitores. A elevar o nome do fantástico mais alto, estas Crónicas de Gelo e Fogo, de George R. R. Martin, são uma epopeia emocionante, e da qual ainda muito tenho por ler (e o próprio autor por escrever!). As personagens são perfeitas, e a emoção nunca está ausente. Eu já o disse tantas vezes... mas se ainda não começaram, comecem a ler!

Número de Páginas: 515

Personagens Preferidas (Spoilers!): Tyrion Lannister, Mindinho, Cão de Caça, Arya Stark, Jaime Lannister, Sansa Stark, Brienne de Tarth... etc, etc, etc.

Nota (0/10): 10 - Perfeito (não só por este livro em si, como também como prémio pela qualidade da saga no seu global até ao fim do 6º livro)



Tiago

4 comentários:

Claudia Oliveira disse...

Olá Tiago,

falta metade do livro para eu acabar e estou a gostar imenso. Obrigada pela comentário que deixaste la no blog. Sim, a Sansa é a personagem que mais gosto, sem duvida. Pena que não entre mais vezes no primeiro volume. Ja tenho o segundo para ler.
Ainda não encontrei nng que tenha gostado da Sansa como eu logo no inicio.
Qto a esta critica, gostei sim senhora.So me deixaste mais curiosa :)
Beijo

Sássára disse...

Quase que seleccionava os spoilers, sabes bem que sou curiosa :o Mas depois decidi não o fazer e estou à espera que me emprestes o "Despertar da Magia". Estou mesmo muito atrasada!

Beijinho @

Canochinha disse...

O livro é realmente espectacular... E não me convidem para casamentos em Westeros! :D

t i a g o disse...

Claudia Oliveira,
então já somos dois a gostar da Sansa no primeiro volume! :)


Sassára,
AINDA BEM que não seleccionaste, senão arrepender-te-ias disso! Vais ver que vai compensar não teres lido os spoilers... :P

Canochinha,
é bem verdade xD E logo eu que vou a um casamento esta sexta-feira... espero bem que não passe sem querer por um portal mágico e vá ter ao Grande Septo de Baelor, ou lá como se chama. :D

Blog Widget by LinkWithin